Buscar

Expondo o falso evangelho da depressão



"Estou preso e sinto que Deus não está em lugar nenhum."
"Não consigo superar a forma como eles me trataram - como se eu fosse menos que humano."
"Não há esperança para mim. Sinto muito ter perdido seu tempo."
"Esta é a vontade de Deus para mim. Não adianta orar."

Esses tipos de sentimentos carregados de emoção vêm de pessoas que estão passando por um período de depressão. Entendo que as causas são menos fisiológicas e mais frequentemente relacionadas a algum acontecimento que tenha dado origem à mudança de humor (perda do emprego, doença, morte de um cônjuge ou outro ente querido, divórcio, etc.).


Em muitos casos, os depressivos devem fazer um check-up médico para cuidar de seus corpos, mas em todos eles, devem ser aconselhados para que suas almas sejam pastoreadas.


Algo realmente difícil para os depressivos superarem é o diálogo contínuo que eles mantêm dentro de si, no nível do coração . Sobre isso, Paul Tripp escreveu:

“Ninguém é mais influente em sua vida do que você, porque ninguém fala com você mais do que você”. (1)

A depressão, ao que parece, se transforma em um pregador indisciplinado de um falso “evangelho” que rouba a esperança à medida que domina progressivamente seu pensamento, influenciando seu comportamento. Embutido neste padrão prejudicial está uma visão distorcida de quem é Deus e uma dúvida persistente a respeito da confiabilidade de Suas promessas. Nesses casos, os depressivos precisam aprender como retomar a posse daquela “voz interior” e como saturar a mente com as verdades das Escrituras.


Embora a realidade do sofrimento não deva ser minimizada, devemos lembrar que a depressão, assim como a ansiedade, tendem a superestimar o tamanho do problema, ao passo que subestimam a abundância de esperança disponível em Cristo.


Em meio à depressão, esse pode ser o padrão de pensamento em que cada decepção serve apenas para reforçar expectativas antibíblicas. Ed Welch escreveu:

“A depressão pode acumular muitas interpretações imprecisas sobre nós mesmos, sobre outras pessoas e sobre Deus. A Escritura vem e corrige essas interpretações errôneas suprimindo as falsas crenças. ” (2)

Os depressivos devem superar as mentiras da depressão com as verdades das Escrituras.



Levando cada pensamento cativo


O apóstolo Paulo escreveu que, como cristãos, devemos levar “cativo todo pensamento para que obedeça a Cristo.” ( 2Coríntios 10.5). Por mais compreensíveis que possam ser os pensamentos depressivos e a tristeza em um determinado cenário, a mensagem proferida pela depressão frequentemente está em oposição ao evangelho.


Se a depressão é como um pregador de um falso evangelho, a pessoa deprimida é como uma congregação que se reúne regularmente para ouvir sua voz e receber suas más instruções. Com o tempo, as raízes da depressão penetram nos recessos mais profundos do coração. Isso ajuda a explicar por que tantas vezes ela assola pessoas saudáveis.


Embora possamos todos nos beneficiar de uma palavra de incentivo de vez em quando, aqueles que lutam contra a profunda depressão espiritual precisam de algo mais do que chavões religiosos ou clichês do tipo "eu estarei orando por você!" Os paisagistas não removem as palmeiras totalmente crescidas com colheres de plástico. Da mesma forma, os depressivos devem ter os problemas espirituais atacados com a verdade de Cristo que lhes equipará com as eficientes armas espirituais que são "poderosas em Deus para destruir fortalezas." ( 2Coríntios 10.4).



Lutando por mudança


Welch nos lembra que a luta pela mudança impulsionada pelo evangelho contra a depressão é apenas isso - uma batalha. Ele escreveu:

“Essas mudanças acontecem apenas por meio de uma batalha, e a chave para a batalha é nos humilharmos perante o Senhor acreditando no que Ele diz”. (3)

Essa questão de fé é crucial. Não é uma crença indiferente, mas uma confiança na Palavra de Deus em face de circunstâncias difíceis. Você confiará nas mentiras ou meias-verdades da depressão ou nas promessas de Deus? Compreender como e por que você chega às suas conclusões costuma ser útil para ser reconduzido à viva esperança.


Se você tem acreditado no falso evangelho da depressão, uma estratégia útil é fazer uma lista das declarações negativas que você ouve de sua depressão. Por conta própria ou com a ajuda de alguém, pesquise referências bíblicas chave que falam a verdade em resposta às declarações depressivas.


Finalmente, examine as declarações por meio de contraste e comparação. O objetivo é chegar a pontos de aplicação prática e esperança renovada no verdadeiro evangelho de Jesus Cristo.


No final, pregar o evangelho para nós mesmos é poderoso na luta contra a depressão espiritual. Emoções perturbadas não são silenciosas. Elas estão sempre pregando ao coração e exigindo atenção. Não permita que o inimigo dê a última palavra.

Notas:

  1. Paul Tripp, “You Talk to Yourself,” Paul Tripp Ministries, Inc., February 26, 2014, accessed October 23, 2015, http://www.paultripp.com/wednesdays-word/posts/you-talk-to-yourself.

  2. Edward T. Welch, Depression: Looking Up from the Stubborn Darkness (Greensboro, NC: New Growth Press, 2011), 225.

  3. Ibid., 225.

Publicado originalmente em Taking Every Thought Captive, 27 de novembro de 2015. Adaptado e republicado em Care Leader.

Joshua Waulk


Josh é fundador e diretor executivo da Baylight Counseling. Ele é um conselheiro bíblico certificado com mestrado em aconselhamento bíblico pelo Southeastern Baptist Theological Seminary. Josh está atualmente trabalhando em seu doutorado em aconselhamento bíblico no Southeastern. Ele é casado com Christy e pai de Trevor, Karis, Liam e Liana. Josh é um ex-policial que gosta de beisebol e comida cubana.

25 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

© 2020 Todos os direitos reservados.