Buscar

Depressivos sofrem de verdade



Ao considerar como as Escrituras tratam da depressão, encontramos farto material bíblico sobre sofrimento, provações e adversidades.

"Eu poderia chorar a cada hora como uma criança, mas não sabia pelo que chorava."
"Desconforto diabólico."
"Tristeza maligna."

Se temos certeza de alguma coisa com relação à depressão, é que as pessoas deprimidas estão sofrendo.


Compreendendo a depressão como sofrimento, temos a vantagem de entrar na vida da pessoa deprimida sem preconceitos, sem pensar que a pessoa deva tomar remédios imediatamente ou que algum pecado oculto alimenta todos os sentimentos depressivos. Em vez disso, somos capazes de mostrar compaixão e misericórdia livremente sem passar por julgamentos iniciais.


Claro, todos os parentes, amigos e conselheiros gradualmente começam a ver as conexões entre a depressão e outras características da vida da pessoa deprimida. Assim, as teorias emergem de dados em vez de serem impostas, levando a conselhos mais precisos, ao aumento da fé e à diminuição dos sintomas depressivos. Mas, embora teorias precisas possam ajudar, elas nem sempre são necessárias. Considere a visão ou as teorias de Jó sobre seu terrível sofrimento. Ele não sabia dos eventos que ocorreram na corte celestial. No entanto, mesmo sem teorias precisas sobre seu sofrimento, ele foi dramaticamente transformado com os conselhos que estão disponíveis a todos. Por meio do conselho de Deus, Jó entendeu que seu Redentor, cujo nome ele louvava, nos ouve quando clamamos a Ele, tem uma sabedoria muito maior do que a nossa, está acima de todas as coisas e é confiável. Sua resposta foi andar humildemente diante de seu Deus em arrependimento, fé e obediência. Esse foi o único conselho que Jó recebeu, e foi o único conselho de que ele precisava.


Nós, no entanto, temos ainda mais. Do nosso ponto de vista, tendo nascido após o ministério terreno de Jesus, sabemos mais sobre o caráter e plano de Deus do que Jó. Nossa doutrina do sofrimento é muito mais ampla do que a dele. Por exemplo, enquanto Jó tornou-se agudamente ciente do poder soberano de Deus, também estamos cientes de Seu amor insondável por nós, que éramos Seus inimigos. Considerando que aqueles da era de Jó só podiam imaginar uma causa de sofrimento - pecado pessoal - vemos muito mais. Reconhecemos que o sofrimento vem de nós mesmos, dos outros, da maldição edênica, de Satanás e do próprio Deus.


Os detalhes de uma doutrina do sofrimento não são necessários aqui. São necessários apenas alguns aspectos do ensino bíblico que merecem ênfase especial.



Publicado originalmente em “Counseling Those Who Are Depressed”, The Journal of Biblical Counseling, Number 2, Winter 2000 18 (2000): 12-13.


Edward T. Welch


Edward T. Welch é conselheiro e membro do corpo docente da Christian Counseling & Educational Foundation (Fundação de Educação & Aconselhamento Cristão – CCEF).

32 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

© 2020 Todos os direitos reservados.