Declaração doutrinária

Bibliologia

 

A palavra Bíblia significa coleção de livros. A Bíblia é o conjunto de escritos da revelação especial de Deus e tem como objetivo revelar a salvação em Jesus Cristo, nosso Senhor. Ela é a regra de fé e prática de todo cristão verdadeiro. Foi divinamente inspirada, sendo por isso, inerrante, infalível e detentora de toda autoridade. A Bíblia não contém a Palavra de Deus, ela é a Palavra de Deus, não tendo o objetivo de ser exaustiva de forma histórica e científica, contudo sendo verdadeira em tudo que propõe dizer.

O Cânon é formado por 66 livros divididos em Antigo Testamento (39 livros) e Novo Testamento (27 livros). Os livros do Antigo Testamento são subdivididos em Lei de Moisés, Históricos, Poéticos e de Sabedoria, Profetas Maiores e Profetas Menores. O Novo Testamento é subdividido em Evangelhos (sendo 3 sinóticos: Mateus, Marcos e Lucas), Histórico, Epístolas Paulinas, Epístolas Gerais e Apocalíptico.

A Bíblia foi escrita em aramaico, hebraico e grego por aproximadamente 40 escritores em um período de aproximadamente 1500 anos.

Sendo a Bíblia uma das formas de revelação especial (Jesus é o ápice dessa revelação), Deus também se revela por meio da criação, o que é chamado de revelação geral.

É importante diferenciar revelação, inspiração e iluminação. Revelação se dá por meio da ação de Deus em fazer-Se conhecido, bem como, Sua vontade. A Inspiração é a ação de Deus nos escritores bíblicos para que registrassem sem erros a Sua revelação. Já a Iluminação, é a capacitação espiritual dada por Deus para que sua Palavra revelada e inspirada pudesse ser compreendida.

 

Teologia

 

A Teologia é o estudo de Deus naquilo que Ele mesmo Se revela. Deus não pode ser definido pelo homem finito, contudo Langston vai dizer que “Deus é espírito pessoal, perfeitamente bom, que, em santo amor, cria, sustenta e dirige tudo”.

Deus possui atributos incomunicáveis, ou seja, pertencem exclusivamente ao seu ser. Podemos citar como exemplo: onisciência, onipotência, onipresença, eternidade, imutabilidade, imanência, transcendência, etc.

Deus também possui atributos comunicáveis, os quais Ele partilha com o homem, sendo: santidade, amor, justiça, sabedoria, emoções, inteligência, criatividade, etc.

Algumas vezes a Bíblia usa linguagem metafórica para descrever Deus, para isso aplica recursos como antropomorfismo (dar formas humanas a Deus), antropopatia (dar sentimentos humanos a Deus), entre outras. A Teofania é a aparição de Deus ao homem, seja na forma de fenômenos da natureza, como o Anjo do Senhor, como a sarça ardente ou como homem.

Apesar da Palavra Trindade não ser encontrada na Bíblia, já que foi cunhada por Tertuliano no séc. III, é uma doutrina claramente vista nas Escrituras. Ela descreve a existência de um único Deus em essência na forma de 3 pessoas distintas, sendo o Pai, o Filho e o Espírito Santo. Enquanto Deus se manifesta na Trindade, a palavra Triunidade diz de Sua existência eterna em 3 pessoas.

Deus é transcendente, ou seja, está além de toda criação, é independente dela. Contudo Ele também é imanente, ou seja, está ativo e presente em Sua criação.

 

Cristologia

 

Jesus é o Deus-homem, Ele é 100% Deus e 100% homem. Ele é o Filho na Trindade. Tendo Maria concebido pelo Espírito Santo, mesmo virgem deu à luz Jesus na plenitude dos tempos, que nasceu sem pecado.

Ele é o criador e não é uma criatura. Foi gerado pelo Pai na eternidade sendo sempre Deus, eterno e todo-poderoso. Ele é o primogênito de toda criação, sendo o herdeiro de todas as coisas por direito.

Por Ele foram cumpridos 3 ofícios: profeta, sacerdote e rei.

Em Sua encarnação Jesus esvaziou-se de Sua glória, não perdendo Seus atributos divinos, abriu mão deles, muitas vezes, para que pudesse ser servo e glorificar o Pai.

Sua humilhação se deu na encarnação, enquanto Sua glorificação se deu na Ressurreição e Ascenção. Por Sua morte na cruz, Jesus expiou os pecados de todo o que crê, conferindo justificação e paz com Deus aos que são nascidos de novo. Da mesma forma que subiu aos céus Ele virá novamente para a consumação de todas as coisas e para a glorificação de Sua igreja.

Hoje, Jesus está à destra do Pai e intercede por nós. Ele é o único mediador da Nova Aliança e em sua memória celebramos a ordenança da Ceia do Senhor.

 

Pneumatologia

O Espírito Santo é Deus. Ele procede do Pai e do Filho sendo eternamente Deus, não criado. Ele é uma pessoa com emoções, ações e vontades. Ele é o Consolador, aquele que convence do pecado, da justiça e do juízo. É o selo de todo cristão e o penhor de nossa salvação.

O Espírito Santo é recebido pelo crente no momento da conversão, não havendo segunda bênção ou batismo em momento separado. O cristão é evidenciado por Seus frutos e todo cristão recebe dEle dons distribuídos conforme Sua soberana vontade.

Ser cheio do Espírito Santo é ser dominado por Ele.

Em Atos 2 o Espírito Santo inaugurou seu ofício no Novo Testamento sobre a igreja ao descer no Pentecostes sobre os discípulos. Hoje Ele se encontra nos corações dos lavados e remidos pelo sangue de Jesus.

Os dons de sinais, doravante concedidos individualmente aos crentes da igreja primitiva para legitimar sua mensagem, hoje opera por meio da igreja e não mais individualmente.

As profecias e revelações cessaram com o fechamento do cânon e que o dom de cura pode ser operado pela igreja em oração comunitária, segundo a vontade de Deus.

 

Hamartiologia

O pecado é caracterizado por errar o alvo. Toda desobediência a Deus é pecado passível de condenação eterna por parte do pecador. O pecado original refere-se à queda do primeiro homem, que, como representante de toda humanidade, imputou a culpa pelo pecado aos seus descendentes.

O primeiro pecado foi cometido no céu por Lúcifer e o primeiro pecado na Terra cometido por Adão e Eva. O pecado pode ser realizado por comissão - o ato de pecar; ou por omissão - deixar de fazer o bem que se deve.

O pecado fez separação entre o homem e Deus. O homem ao pecar morreria espiritualmente, fisicamente e eternamente ao ser separado de Deus no Lago de Fogo.

O pecado manchou a imagem de Deus no homem modificando sua natureza de forma a torná-la inclinada ao mal e inimiga de Deus. Todas as faculdades humanas foram afetadas pelo pecado, seu intelecto, suas emoções e sua volição.

O pecado atingiu a criação que geme à espera da redenção de todas as coisas.

Todos os pecados podem ser perdoados por Deus, com exceção da blasfêmia contra o Espírito Santo.

 

Soteriologia

A salvação é o plano de Deus para salvar o homem da condenação do pecado. O homem precisa ser salvo porque é herdeiro da culpa de Adão sendo responsável por desobedecer deliberadamente a Deus.

A salvação é um ato que ocorre, conforme o primeiro parágrafo do artigo V da Declaração Doutrinária da Convenção Batista Brasileira, na seguinte ordo salutis: Regeneração, Justificação, Santificação e Glorificação.

Jesus nos salvou da condenação do pecado, nos salva da influência do pecado e nos salvará da presença do pecado.

A salvação ocorre mediante a fé em Jesus, e é irrevogável. O Cristo que nos salva garante nossa entrada no céu, sendo assim, o crente não pode perder a salvação. A fé conduz à conversão que é a mudança de direção. Onde antes reinava o pecado agora reina Jesus.

Após a conversão dá-se início o desenvolvimento da salvação por meio do Espírito Santo de Deus através da comunhão, oração, adoração e meditação na Palavra de Deus.

A salvação pertence ao Senhor, é uma obra completamente dEle, por Graça, não havendo espaço para o mérito humano ou salvação pelas obras. Segundo as Escrituras, e reafirmada pela Declaração Doutrinária da Convenção Batista Brasileira no artigo VI, Deus elegeu e predestinou aqueles que haveriam de ser salvos, para isso usou Sua Soberania, inclusive Sua Presciência. Ainda que Deus seja Soberano na salvação, o homem é responsável por sua perdição ao rejeitar a salvação oferecida por Deus. O homem rejeita a Deus por sua vontade, enquanto é salvo pela vontade de Deus.

 

Antropologia Bíblica

O homem é a coroa da criação de Deus, formado dicotomicamente com uma parte material (física) e outra imaterial (espiritual). Deus cria cada alma individualmente para cada criança gerada. O primeiro homem foi criado do pó da terra e após Deus lhe ter soprado nas narinas o fôlego de vida, transformou-o em alma vivente.

O homem foi criado perfeito, sem pecado, à imagem e semelhança de Deus. O homem foi criado para a glória de Deus, contudo perdeu sua glória com a queda, quando a imagem de Deus nele contida foi manchada pelo pecado.

O homem regenerado não é perfeito como Adão era antes da queda, mas possui sua espiritualidade restaurada por Deus. Após a glorificação todos os salvos terão reestabelecida a sua perfeição em Deus.

 

Angelologia

Os anjos são seres espirituais, criados por Deus para glorificá-lo e serví-lo. São dotados de inteligência e poder, porém desprovidos de corpos físicos.

Os anjos foram criados antes do sétimo dia da criação. São criaturas e não divinos. Hierarquicamente são divididos em Anjos, Arcanjos, Querubins e Serafins. A Bíblia não diz que são sexuados, Jesus disse que não se casam, não havendo neles o objetivo de procriação.

Satanás é o maioral dos demônios, o inimigo de Deus, o anjo caído que levou consigo um terço das miríades celestiais. Ele trabalha para desviar a humanidade de Deus, tentando e oprimindo os salvos. Ele e seus anjos já estão condenados e destinados ao Lago de Fogo.

A Bíblia diz que para vencê-lo precisamos nos equipar com a armadura de Deus, nos sujeitando a Deus e resistindo a ele.

Demônios podem possuir os ímpios, mas não podem tocar nos remidos.

 

Escatologia

Escatologia é o estudo sobre as últimas coisas, sobre a consumação dos tempos. O fato mais importante na escatologia é a volta de Jesus. Há pelo menos 3 correntes sobre a volta de Jesus. A pré-milenista diz que Jesus voltará antes da grande tribulação para buscar a igreja, após os 7 anos de tribulação Ele retornará triunfante para reinar sobre a Terra por mil anos. A visão pós-milenista diz que a igreja estabelecerá a paz na Terra por meio da evangelização de todo o mundo e neste período de paz Jesus retornará para a consumação de todas as coisas. A visão amilenista diz que Jesus inaugurou o milênio ao estabelecer Seu reino sobre a Terra em Sua primeira vinda, dessa forma, a igreja passará pela grande tribulação e Jesus voltará uma única vez para a consumação de todas as coisas. Sou adepto dessa última visão.

Segundo a Bíblia, a segunda vinda de Jesus será inesperada, pessoal, visível e em Glória.

Até a segunda vinda de Jesus, os mortos em Cristo estarão conscientes com Ele nos céus enquanto seus corpos dormem aguardando a ressurreição. Os ímpios mortos já estão em tormento, separados de Deus, aguardando a ressurreição para serem lançados no Lago de Fogo, a segunda morte.

Não existe sono da alma. Também não são bíblicas as ideias de aniquilação ou purgatório.